Incontinência urinária em idosos: causas, consequências e tratamentos

Publicado em 9 de dezembro de 2020
Incontinência urinária em idosos: causas, consequências e tratamentos

Incontinência urinária em idosos é vista como um problema natural que chega com o avanço da idade. Porém, esse fato está equivocado.

A incontinência urinária pode até ser bem comum, principalmente na faixa etária avançada. Estudos mostram que mais de 50% das pessoas idosas são incontinentes.

Entretanto, não é normal. A incontinência urinária em idosos é um problema de saúde e deve ser cuidado com atenção.

O que é a incontinência urinária?

Incontinência urinária é a perda do controle da bexiga, ou seja, a incapacidade de segurar e controlar a saída da urina. 

É uma situação patológica que pode surgir em qualquer idade, porém tende a ser mais recorrente nos idosos. 

A incontinência não é só um problema físico, mas também emocional e cultural. Ao longo deste artigo, mostraremos as causas, tipos, consequências e tratamentos da incontinência urinária em idosos. 

Quais são as causas da incontinência em pessoas de terceira idade?

A perda do controle da bexiga pode ser influenciada por diversas causas. Como:

  • Perda da força dos músculos da bexiga;
  • Perda da força dos músculos pélvicos, no caso das mulheres;
  • Aumento da próstata, no caso dos homens;
  • Diminuição na capacidade da bexiga;
  • Infecção urinária;
  • Muito consumo de alimentos diuréticos;
  • Hidratação em excesso;
  • Distúrbios neurológicos;
  • Uso de medicamentos sedativos, diuréticos, entre outros.
São muitas as causas que podem desenvolver uma incontinência urinária

Quais são os tipos de incontinência urinária?

Sim, a incontinência urinária possui vários tipos diferentes. Para começar, dividimos em dois grupos: transitória e crônica.

Transitória 

A incontinência urinária transitória tem como causa agentes externos, ou seja, a origem do problema não é no sistema urinário.

Esse tipo de incontinência ocorre devido aos alimentos diuréticos, medicamentos, infecção urinária, problemas psicológicos, prisão de ventre, entre vários outros. 

É um dos tipos mais fáceis de cura, visto que é somente tratar os agentes causadores externos. 

Crônica 

A incontinência urinária crônica é um pouco diferente. Nesse caso, subdividimos em demais especificações de incontinência, como:

Incontinência de esforço

Acontece quando o idoso passa por algum momento de esforço como tosse, risada, espirra, realiza atividade física, etc. Isso acontece por causa de um enfraquecimento dos músculos da bexiga e uretra.

Incontinência de urgência/ hiperativa 

É a perda da urina acompanhada de uma vontade súbita e desesperadora em ir ao banheiro. Acontece por causa de contrações súbitas na bexiga, que causam a vontade de urinar de repente.

Incontinência de transbordamento 

Tem como característica principal a incapacidade de esvaziar a bexiga, levando a urina a transbordar em pequenas quantidades. É mais frequente em homens, devido ao aumento da próstata.

Incontinência funcional 

Nesse caso, o problema não é de fato na bexiga ou sistema urinário, mas alguma limitação física ou mental que impede a pessoa idosa de chegar a tempo ao banheiro.

Incontinência noctúria

Caracteriza-se por várias idas ao banheiro durante a noite, mesmo que a pessoa de idade avançada tenha ido dormir sem vontade de urinar.

Quais as consequências da incontinência urinária em idosos?

Como falamos anteriormente, a incontinência urinária, além de ser um problema físico, é também cultural e emocional. 

Dizemos que é cultural, pois a sociedade entende que é normal acontecer a incontinência após uma certa idade. Isso é visto como natural, apesar de não ser. 

Dessa maneira, quando se entende que é natural, o idoso não vai achar necessário procurar ajuda e nem falar para seus familiares. 

Quando falamos que é emocional, é por causa de grandes embaraços e situações desagradáveis que podem acontecer devido a incontinência.  

Isso pode levar o idoso a não querer mais realizar suas atividades do dia a dia e nem socializar com amigos e familiares, em virtude de medo e vergonha de acontecer um episódio de incontinência.

Esse medo e vergonha vai privá-lo de sair de casa, fazer atividades físicas, encontrar pessoas queridas. Por consequência, o idoso pode sofrer com solidão e até mesmo depressão

Portanto, é muito importante conversar com o idoso e mostrá-lo que ele precisa procurar um médico para o tratamento, pois não é saudável manter essa questão em segredo.

Quais os tratamentos possíveis?

Primeiramente, inicie o tratamento buscando ajuda médica. O geriatra irá fazer exames no idoso para, primeiramente, identificar qual é a causa da incontinência.

Em um primeiro momento, o médico provavelmente irá recomendar pequenas ações que ajudem a combater esse problema, como:

  • Exercícios para os músculos pélvicos, com o objetivo de fortalecer a bexiga e o controle do xixi;
  • Horários para ir ao banheiro, para evitar a surpresa de um episódio de perda involuntária de urina;
  • Restrições alimentares com a finalidade de eliminar ou diminuir alimentos e bebidas diuréticos;
  • Revisão e troca dos medicamentos;
  • Uso de fraldas geriátricas em alguns períodos do dia;

Ainda existem alguns tratamentos com maior impacto como a estimulação elétrica – inserção de eletrodos para estimular o fortalecimento dos músculos pélvicos – e cirurgia. 

É necessário frisar novamente a importância da ajuda médica, pois a incontinência urinária em idosos pode realmente afetar a qualidade de vida e o bem-estar deles.

Compartilhar