Violência contra idosos: cenário que piora a cada dia

Publicado em 4 de novembro de 2020
Violência contra idosos: cenário que piora a cada dia

A violência contra idosos é um problema social muito enfrentado no Brasil e mundo. Infelizmente, essa situação tem se tornado cada vez mais frequente devido ao aumento da expectativa de vida. Estudos mostram que um a cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência.

O que significa a violência contra idosos 

Em resumo, violência contra idosos significa qualquer ação ou ausência dela que cause dano ou incômodo à pessoa de idade avançada. Para se enquadrar no conceito, o ato pode ser único ou repetitivo e deve ter acontecido em uma relação em que haja confiança.

Em uma pesquisa realizada no início de 2020, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH) mostrou que a quarentena foi um fator decisivo em relação a violências e abusos domésticos, mas principalmente contra as pessoas idosas.

Em março, os números estavam em 3 mil denúncias, já em abril, o número quintuplicou para 17 mil.

Tipos de violência contra idosos 

Apesar da palavra violência remeter mais ao físico, existem outros tipos de violência contra idosos, que podem ser divididas entre seis subcategorias: violência física, violência psicológica, violência sexual, abandono, negligência e abuso financeiro.

Violência física

A mais conhecida entre todas, o abuso físico contra pessoas de terceira idade é o ato de causar machucados que podem ser suaves ou graves, que levam até mesmo ao óbito. 

Violência psicológica

Significa menosprezar, humilhar, discriminar ou ter preconceito contra a pessoa idosa. Normalmente, essa violência é mais silenciosa e pode causar extrema tristeza, sofrimento depressão e até mesmo suicídio. Representa 26% dos casos.

Abandono

O abandono também pode ser subdivido em outras categorias, mas aqui nos referimos ao abandono físico. É o ato de deixar o idoso em alguma instituição e não preocupar-se mais em visitá-lo. 

Negligência

É quando a pessoa de terceira idade sofre com a falta do mínimo necessário para sobreviver ou ter uma vida digna. Isso representa comida, saúde e moradia. 

A negligência acontece propositalmente contra a pessoa idosa, deixando-a em maus-tratos. É a mais comum no Brasil, representando 38% das violências contra idosos. 

Abuso financeiro 

Significa apropriar-se dos recursos e bens que possuem ao idoso. Pode ocorrer forçadamente ou sem o conhecimento do idoso. 

O exemplo mais comum é o uso do valor da aposentadoria da pessoa de terceira idade para necessidades que não sejam dela. 

Violência sexual

Assim como contra qualquer faixa etaria, o abuso sexual contra o idoso se trata de atos e práticas eróticas realizadas sem o consentimento da pessoa idosa. 

Não se refere apenas ao ato sexual, pois também pode ser beijos e carícias indesejadas e forçadas. 

Principais causas da violência contra idosos

Não existem causas isoladas que se repitam em todos os casos de violência contra idosos, assim como em qualquer outro exemplo de violência. 

Contudo, baseado nos casos existentes, os idosos que possuem doenças degenerativas e problemas sociais são os que mais sofrem de abusos e negligências. Além disso, a falta de tolerância e paciência por parte dos cuidadores também estão na lista de causas.

A violência contra idosos é um cenário que cresceu consideravelmente com a quarentena de 2020, por causa do isolamento obrigatório.

Consequências da violência contra o idoso

Os abusos contra pessoas de idade avançada geram consequências muito graves tanto para o idoso quanto para o abusador, quando denunciado.

Em questão da pessoa idosa, a violência pode causar problemas psicológicos e comportamentais, assim como o desequilíbrio familiar como um todo. 

Diminuição das habilidades funcionais, estresse, desnutrição, morbidade, depressão e ainda demência são algumas das consequências para o idoso.

Já para o abusador, as consequências de maus tratos são de 2 meses a 1 ano de reclusão, se for em casos leves. 1 a 4 anos se for casos graves e 4 a 12 anos se resultar na morte do idoso. 

Como identificar a violência contra o idoso?

Existem alguns sinais de alerta que podem ajudar a identificar a violência contra idosos. Machucados, cicatrizes e hematomas sinalizam abuso físico. O mesmo cabe para abuso sexual, quando estes machucados forem nas regiões íntimas.

Mudanças bruscas de comportamento e personalidade, como atos de demência, podem indicar abuso psicológico. 

Já o abuso financeiro pode ser notado por saques grandes nas contas bancárias do idoso, além do sumiço de pertences e dinheiro. 

Quanto à negligência, a identificação é situação de desnutrição, desidratação, falta de higiene e baixas condições de vida. 

A importância da denúncia da violência contra idosos

Mesmo com números tão altos como 17 mil denúncias em um único mês, sem dúvidas isso não representa todos os casos de violência contra idosos. 

Ainda existem muitos casos desconhecidos e violentadores impunes, pois as denúncias não são feitas. É preciso reforçar sobre a importância de denunciar a fim de que essa situação não se agrave mais e mais.

O Estatuto do Idoso protege os idosos contra as violências e abusos e assegura punições civis e criminais contra as pessoas que realizam qualquer ato prejudicial à eles. 

Para que esse cenário tenha uma mudança positiva, é preciso mudança e conscientização da sociedade brasileira e mundial acerca da gravidade do tema e da importância da denúncia. 

Para denunciar, você pode recorrer ao Disque 100 ou ao 190, além e ter a possibilidade de denúncia anônima. 

Compartilhar