Casas de repouso, ILPI e moradia para idosos: tudo que você precisa saber

Introdução

As moradias para idosos, conhecidas também como Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), são locais destinados às pessoas com mais de 60 anos em busca de um domicílio coletivo. Elas têm como principal objetivo garantir que os seus residentes recebam os cuidados necessários para envelhecerem da melhor forma possível. Muito buscadas em países desenvolvidos, as moradias para idosos ainda não fazem parte do processo de envelhecimento da maior parte dos brasileiros.

Entre as inúmeras diferenças entre o Brasil e os países desenvolvidos, existem três mais relevantes. São elas que fazem com que a busca por ILPIs por aqui seja menor:

O Brasil é um país que ainda está amadurecendo

A população idosa brasileira ainda é bastante inferior à percebida nos países desenvolvidos. Apesar de o número de brasileiros com mais de 60 anos anos superar os 30 milhões, apenas 8 milhões de brasileiros têm mais de 75 anos, o que representa menos de 4% da população do país. Nos Estados Unidos, por exemplo, o número de habitantes com mais de 75 anos ultrapassa os 20 milhões, e representa aproximadamente 6% da população total.

Diferença cultural no conjunto familiar brasileiro

Existe uma diferença cultural que faz com que as moradias para idosos sejam menos buscadas no Brasil. O conjunto familiar brasileiro (e também observado em demais países de cultura latina) é diferente do apresentado em países do hemisfério norte. As famílias brasileiras apresentam uma relação mais próxima entre seus membros, de forma que os filhos permanecem por mais tempo na casa dos pais e os familiares idosos voltam a viver com seus filho(a)s a partir do momento em que passam a encontrar dificuldades. Sendo assim, em muitas casas brasileiras, três gerações da família habitam ao mesmo tempo, algo dificilmente encontrado em países desenvolvidos.

A percepção das moradias para idosos no Brasil

Essa pode ser considerada a principal razão pela qual as moradias para idosos no Brasil ainda não fazem parte do processo de envelhecimento da maior parte dos brasileiros. A percepção sobre as moradias para idosos no Brasil ainda é muito negativa. A imagem das moradias para idosos no Brasil está diretamente atrelada à dos asilos, termo que vem acompanhado de uma conotação negativa. Isso é devido à imagem de serem locais que abrigavam apenas miseráveis e abandonados.

Entretanto, com a evolução das demandas de uma sociedade em processo de maturação, as atuais moradias para idosos são muito diferentes dos antigos asilos. A percepção das moradias para idosos só vai mudar conforme as famílias brasileiras forem introduzidas a esse novo conceito. Isso requer não apenas uma mudança de percepção da população, mas também uma comunicação ativa sobre o assunto por parte da sociedade, tanto na esfera pública quanto privada.

O que são as ILPIs?

Proposto pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, o termo Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) foi criado para ser usado em substituição ao termo “asilo”. Sendo assim, as ILPIs são locais destinados à moradia de pessoas com mais de 60 anos, podendo ser residências temporárias ou permanentes.

De acordo com a RDC Nº 283, a ANVISA define as ILPIs como “instituições governamentais ou não governamentais, de caráter residencial, destinada a domicilio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condição de liberdade e dignidade e cidadania.”

Quais os tipos de ILPIs?

Conforme descrito na introdução, o principal objetivo das ILPIs é garantir que os seus residentes recebam os cuidados necessários para envelhecerem da melhor forma possível. Entretanto, existe uma grande variação das necessidades de cuidado dos idosos, e é papel das ILPIs se adaptarem para atender às diferentes necessidades com o máximo de qualidade. No entanto, as moradias não precisam necessariamente atender as necessidades de todos os idosos, podendo focar em um público com características e necessidades específicas.

Graus de Dependência do Idoso

Com o objetivo de se distinguir as diferentes ILPIs, foi criada uma segmentação do público atendido por essas instituições de acordo com o grau de dependência do idoso.

  • Grau de Dependência I – idosos independentes, mesmo que requeiram uso de equipamentos de auto-ajuda;
  • Grau de Dependência II – idosos com dependência em até três atividades de autocuidado para a vida diária, tais como: alimentação, mobilidade, higiene; sem comprometimento cognitivo ou com alteração cognitiva controlada;
  • Grau de Dependência III – idosos com dependência que requeiram assistência em todas as atividades de autocuidado para a vida diária, e/ou com comprometimento cognitivo.

Além disso, foi estabelecida uma regra de número de cuidadores e turnos de trabalho a depender do grau de dependência dos idosos na instituição:

  • Grau de Dependência I: um cuidador para cada 20 idosos, ou fração, com carga horária de 8 horas/dia;
  • Grau de Dependência II: um cuidador para cada 10 idosos, ou fração, por turno;
  • Grau de Dependência III: um cuidador para cada 6 idosos, ou fração, por turno.

Modalidades das ILPIs

Para complementar a distinção dos tipos de ILPIs, foi criada uma definição sob a forma de modalidades. Nelas, considera-se a capacidade funcional dos idosos residentes na instituição:

  • Modalidade I – destinada a idosos independentes para as atividades da vida diária. Aí estão incluídos, também, aqueles que necessitam de utilizar algum equipamento de autoajuda;
  • Modalidade II – dirigida a idosos dependentes e independentes que necessitem de ajuda e cuidados especializados, com acompanhamento e controle adequado de profissionais da área da saúde; e
  • Modalidade III – voltada para idosos dependentes que necessitem de assistência total em pelo menos uma atividade da vida diária.

Nomenclatura utilizada para as moradias para idosos

Infelizmente, nem todas as ILPIs no Brasil possuem classificação de acordo com sua modalidade ou grau de dependência dos idosos atendidos. Sendo assim, a forma mais simples de classificar uma ILPI é de acordo com a sua infraestrutura e sua capacidade de atender os idosos com maior nível de dependência. Dessa forma, existem três principais tipos de ILPIs:

Casas de repouso

As casas de repouso são o principal tipo de moradia para idosos no Brasil. Em sua maioria, são casas que foram restauradas para comportar um determinado número de idosos. O número de idosos que vivem em uma casa de repouso varia de acordo com a infraestrutura do local, podendo ser inferior a 10 pessoas nas menores e chegar a cerca de 40 pessoas nas maiores. Na média, as casas de repouso têm uma capacidade para cerca de 20 idosos.

Devido a seu menor tamanho, nem todas as casas de repouso possuem a equipe ou a estrutura necessárias para atender os idosos com maior grau de dependência. Sendo assim, dificilmente as casas de repouso têm um médico responsável que visita o local diariamente, sendo os serviços de saúde oferecidos principalmente por profissionais da área de enfermagem.

Residenciais para idosos

Os residenciais para idosos são uma modalidade de moradia para idosos que é mais recente no Brasil. Com uma infraestrutura maior, normalmente abrigam mais de 50 idosos, sendo que os maiores podem reunir cerca de 300 idosos. Devido a seu tamanho, os residenciais geralmente possuem uma equipe completa e estrutura capaz de atender a todos os graus de dependência — inclusive idosos que necessitem de cuidado médico mais próximo.

Os residenciais normalmente estão localizados em áreas periféricas às cidades, em que é possível ter uma infraestrutura mais completa. Pode haver, inclusive, uma separação dos diferentes espaços de acordo com os graus de dependência dos idosos atendidos. Nos casos em que os residenciais estão localizados dentro das grandes cidades, o formato mais comum é o de prédios restaurados para o atendimento e a moradia de idosos.

Clínicas geriátricas

As clínicas geriátricas, conhecidas também como pousadas geriátricas, são instituições com foco maior na área de saúde. Em sua maioria, possuem uma equipe médica mais completa, além de contar com atividades de importância social para a vida do idoso. Existem clínicas geriátricas de diversos tamanhos, e nem todas oferecem soluções de moradias para idosos. Mas, dentre aquelas que o fazem, em sua maioria a infraestrutura se assemelha à dos residenciais, com capacidades de atendimento de um número elevado de idosos.

Quais os serviços oferecidos nas ILPIs?

Para exercer suas atividades, as ILPIs precisam atender grande parte das necessidades de seus moradores. Dessa forma, os serviços oferecidos vão além de acomodação, alimentação e serviços de limpeza, incluindo também serviços de cuidado não médico (exercido por cuidadores profissionais), atividades sociais, programas de bem-estar e muito mais. Em algumas ILPIs, podem ser oferecidos serviços médicos, geralmente exercidos por enfermeiros.

Em boa parte das ILPIs, também são oferecidos serviços importantes para a preservação da capacidade física e cognitiva do idoso, como fisioterapia e terapia ocupacional. As atividades comuns na maioria das comunidades incluem:

  • Aulas de arte
  • Jardinagem
  • Danças
  • Fisioterapia
  • Serviços religiosos
  • Noites de cinema
  • Bingo
  • Tai chi
  • Apresentações musicais

Por que optar por uma moradia para idosos?

O processo de envelhecimento varia muito para cada pessoa. Sendo assim, antes de se optar por uma moradia de idosos, por home care, ou por outro tipo de serviço, é necessário avaliar por completo a situação do idoso e da família.

A moradia para idosos pode ser o equilíbrio ideal para uma pessoa que deseja permanecer independente, mas que também precisa de algum tipo de assistência e cuidados com suas atividades de vida diária (AVDs). Isso porque o familiar idoso poderá manter sua sensação de liberdade e independência, sem ter de se preocupar com desafios de mobilidade, transporte, alimentação, limpeza, e outras atividades que se tornam mais difíceis com o passar dos anos.

Outra vantagem das moradias para idosos em comparação às soluções de cuidado domiciliar está relacionada com a vida social do idoso. Isso porque, em uma moradias para idosos, o convívio com outras pessoas é frequente, e os problemas gerados pelo isolamento social são minimizados. Além disso, a ILPI pode ser uma solução mais barata quando o idoso necessita de um alto nível de cuidado, podendo apresentar benefícios econômicos para as famílias.

No entanto, as ILPIs ainda são pouco procuradas por idosos com baixo grau de dependência. Isso faz com que o ambiente encontrado em uma ILPI seja de um público com maior número de restrições e dificuldades para realizar suas ADVs. Definir o momento ideal para se buscar uma ILPI não é tarefa fácil. Por isso, é importante poder contar com a ajuda de profissionais especializados.

A busca por ILPIs normalmente começa conforme o idoso passa a experimentar algumas das questões abaixo:

  • Aumento nas necessidades de cuidados diários
  • Declínio cognitivo
  • Isolamento social
  • Desejo de um estilo de vida livre de preocupação

Quanto custa uma moradia para idosos?

O custo do de uma moradia para idosos varia principalmente de acordo com os seguintes fatores: tipo de moradia, se o idoso necessita de cuidados médicos, se o quarto será privado ou compartilhado, e a região em que a moradia se encontra.

Para as casas de repouso mais simples, pode-se encontrar preços que variam de R$ 2.500,00 até R$ 4.000,00 por mês. Mas a maioria das moradias está em uma faixa de preços superior, com uma média de cerca de R$ 5.000,00 por mês. Em residenciais maiores, que contam com uma infraestrutura completa, os preços para quartos individuais podem ultrapassar os R$ 10.000,00 por mês.

Ainda assim, optar por uma moradia para idosos pode ser mais barato do que contratar uma equipe de cuidadores, além de diminuir o trabalho e a preocupação dos familiares. Isso por que uma pessoa que precisa de cuidados 24 horas, sete dias por semana, vai precisar de uma equipe de quatro a cinco cuidadores.

Como escolher a moradia ideal para idosos?

Encontrar a moradia certa para seu familiar idoso é uma das decisões mais importantes (e difíceis) que você irá enfrentar. Nós organizamos os principais itens que devem ser observados nesse momento. Durante a sua visita, leve em consideração a qualidade do atendimento que seu ente querido precisa receber. A decisão de “se, quando e para onde se mudar” dependerá exclusivamente do idoso e dos familiares. Então, considere todos os fatores que são importantes para ambas as partes. Vamos às dicas:

15 dicas para você escolher a moradia ideal para seu familiar idoso

  1. Certifique-se que a instituição possui todas as licenças em dia
  2. Entenda o tipo de moradia e quais os graus de dependência de seus residentes
  3. Preste atenção a toda a infraestrutura da instituição (quartos, refeitórios, áreas de descanso, área externa, etc.)
  4. Pergunte quais atividades os residentes praticam durante o dia
  5. Verifique se um médico visita o local, e com qual frequência
  6. Pergunte qual o tamanho da equipe de cuidado, quais os profissionais que fazem parte dessa equipe e qual a razão entre número de cuidadores e número de residentes
  7. Observe o nível de limpeza
  8. Realize uma visita durante uma atividade
  9. Preste atenção à simpatia da equipe e como os residentes são atendidos
  10. Experimente uma refeição que é servida para os residentes
  11. Faça perguntas sobre quais os critérios de segurança e proteção que são implementados
  12. Faça perguntas sobre como são realizados os cuidados pessoais aos residentes e o que acontece se um residente necessita de um nível de cuidado superior ao oferecido pela instituição
  13. Pergunte qual o tempo médio de permanência dos residentes
  14. Peça uma avaliação de residentes e famílias
  15. Visite ao menos três instituições na sua região

Uma dica extra: certifique-se de que seja possível levar um residente para uma viagem de um dia ou de um fim de semana e pergunte sobre quais são as regras de visitação.

Esperamos que essas orientações e dicas auxiliem você e sua família a chegarem à melhor decisão. Lembre-se de que nossos especialistas estão à disposição para ajudá-lo neste processo.